O sonho interrompido

Há algumas semanas, a imprensa de todo o Brasil comentou sobre um assunto muito grave: pacotes de cirurgias plásticas realizadas na Venezuela e sua possível ligação com tráfico de órgãos.

Algumas clínicas na Venezuela oferecem pacotes de cirurgias com preços muito sedutores, o que acaba chamando muito a atenção das mulheres. O problema é que as cirurgias são realizadas por profissionais de formação duvidosa e em clínicas que nem sempre oferecem estrutura adequada. No último ano, mais de 100 brasileiras voltaram com sequelas graves dessas cirurgias. Só neste ano, pelo menos 15 pessoas já morreram. Nesses procedimentos cirúrgicos, existem ainda indícios de remoção ilegal de órgãos e tecidos.

Dioneide dos Santos Leite foi para Venezuela para realizar uma plástica nas mamas. Lá o médico ofereceu outros quatro procedimentos. Durante a cirurgia, aconteceram uma série de complicações. Dioneide foi transferida para outra clínica, já em estado de coma induzido, já que o local não possuía UTI. Ela morreu e a autópsia constatou a perfuração do rim direito e pulmão. O médico que a operou é o Dr. Oscar Hurtado, também foi responsável por Adelaide Saraiva, que faleceu logo após a cirurgia. O corpo de Adelaide da Silva chegou ao Brasil sem o coração, os pulmões, os rins e o intestino. O mais absurdo dessa história, é que o Dr. Oscar Hurtado, não é um cirurgião plástico, e sim um oncologista. Isso mesmo! Um oncologista!

É extremamente importante verificar se o médico especialista, é membro da Sociedade de Cirurgia Plástica. Esse é um sonho que pode custar a sua vida. Antes de realizar qualquer cirurgia plástica, procure se informar sobre o médico, local onde a cirurgia será realizada, informações básicas de pré e pós operatório. Não arrisque sua vida com profissionais não habilitados! 

Assuntos relacionados: outros