Próteses de silicone aumentam ou não o risco de câncer de mama? Afinal, o que diz a ciência?

Existem cerca de 10 milhões de mulheres em todo o mundo com implantes mamários, com estimativa recente de mais de 550.000 novos implantes por ano. Apesar de décadas de uso, a segurança a longo prazo é sempre uma preocupação para quem seja o tão sonhado aumento mamário.

Em raríssimos casos, foi comprovada sim a relação da prótese mamária com um tipo de câncer de cápsula mamária - o Linfoma Anaplásico de Células Gigantes (ALCL). Em um estudo de revisão publicado na Revista Plastic and Reconst. Surg., foram diagnosticados até aquele momento 173 casos no mundo, sendo 90% curados somente com a retirada da prótese e da cápsula. Os outros 10% (18 casos) tiveram disseminação extracapsular, sendo 5% (9 casos) fatais. Nenhum caso foi registrado no Brasil.

Como é ALCL é muito raro, incidência estimada de 1 caso para cada 3 milhões, não aparece em estudos epidemiológicos, apenas em artigos de revisão de casos. Sendo assim, fiquem tranquilas pois a segurança da prótese foi comprovada cientificamente há várias décadas. Por exemplo, pesquisadores de Los Angeles, Califórnia, acompanharam 3.182 mulheres com implantes mamários por mais de 14 anos e mostraram que estas pacientes não apresentaram diferença na incidência de câncer de mama, bem como atraso na detecção da lesão. Outros seis grandes estudos epidemiológicos sobre o tema também relataram que o risco de câncer de mama é igual ou inferior à taxa esperada na população geral.

Assuntos relacionados: prótese de mama



Artigos relacionados


Perguntas

Jessica Soares
Prótese de mama
"Olá! Gostaria de saber se corro o risco de ter o efeito dupla bolha em uma protese de poliuretano subglandular? Agradeço desde já."

Andrea
Preços, Prótese de mama
"Olá Renata, gostaria de saber quanto fica pra colocar silicone nos seios de 300 ml em cada. Eu sei que depende de uma avaliação do paciente, mas pelo menos um valor aproximado."